História da Freguesia

Freguesia situada no extremo sudeste do concelho, a nove quilómetros a sul da sede do município, a freguesia de Sobradelo da Goma faz fronteira com os municípios vizinhos de Fafe, Vieira do Minho e Guimarães.

Sobradelo da Goma, está delimitada pelas freguesias de Travassos, Brunhais e Esperança. Está localizada na vertente do Merouço, perto da margem esquerda do rio Ave, em terreno muito acidentado. Há uma lenda relacionada com o nome da freguesia. Conta o povo que, certo ano, ocorreu uma terrível tempestade e que destruiu as culturas, em especial as vinhas: só as de Sobradelo se salvaram.

Corno agradecimento pelo milagre concedido, a população resolveu dar-lhe o titulo de Senhora da Goma.

No ano de 950, Ramiro II doara a freguesia de Sobradelo da Goma ao Mosteiro de Guimarães. Nove anos depois, a condessa Mumadona faria a doação ao mesmo cenóbio vimaranense de um terço dos bens que detinha na mesma povoação.

O povoamento da freguesia, por esta época, está também comprovado através dos sítios arqueológicos de Monte de Covelos 1 e Monte de Covelos 2. Tratam-se, em ambos os casos, de locais de arte rupestre medieval. Manifestam-se através de sulcos no afloramento rochoso, provavelmente relacionados com práticas pagãs no período paleocristão, tendo urna função ritual.

Ao longo da sua história. Sobradelo da Goma esteve integrada em Guimarães. As Inquirições de 1220, de D. Afonso II, assim o referem. As “Memórias Paroquiais” de 1758 referem que “Sobradelo é aldeia e paróquia do termo da vila de Guimarães, na comarca do mesmo nome.